terça-feira, 23 de outubro de 2018

Proposta mudança da Micareta de Feira para o mês de outubro

A mudança da data e a permanência do circuito da Micareta na Avenida Presidente Dutra, são os principais pilares contidos na “Carta Aberta” elaborada por representantes de alguns segmentos diretamente envolvidos com a festa, propondo a revitalização do evento de maior apelo popular de Feira de Santana.
O documento, entregue ao prefeito Colbert Martins Filho, na manhã desta terça-feira, 23, no Paço Municipal Maria Quitéria, consiste numa  minuta contendo algumas propostas que começaram a ser debatidas após a Micareta do ano passado.
De antemão, o prefeito Colbert Martins e o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges concordaram em ampliar o tamanho do percurso do Circuito Maneca Ferreira, que na última edição da festa se estendeu ao longo de 800 metros da Avenida Presidente Dutra.

A democracia nunca mais será a mesma


César Oliveira

Há algo que está muito claro, como já dissemos, e que precisará ser estudado: a mudança na democracia com essa eleição, pois, ela nunca mais será a mesma. E não estou falando de Bolsonaro, per si, mas como Bolsonaro se elegeu (ao que indicam as pesquisas).
A revolução digital e expansão da comunicação deu voz a todo cidadão fazendo com que ele fosse um ativista político, sem que sua voz aparecesse via um mediador (mídia impressa, marqueteiros, rádios, intelectuais) que dominavam os meios de transmissão e a filtravam ao seu modo, desejos e interesses. As redes sociais explodiram esse modelo de campanha e de formação do "líder político", que era construído para ser então apresentado aos eleitores.
Sob certo modo, é como Àgora grega, berço da democracia, em que todos podiam falar. Isso acontece para o bem e para o mal. Como é terra de ninguém - um Oeste ainda sem lei- ela permite que aloprados de todas as matizes verbalizem sua selvageria, rasura, e agressões, protegidos pelo anonimato virtual, ou não. Umberto Eco, um tanto preconceituosamente, um tanto acertadamente, disse que a internet deu voz aos idiotas. Toda generalização, como sabemos, é uma idiotice.

Brasil perdeu mais de 40 mil leitos do SUS nos últimos dez anos

Levantamento divulgado hoje (23) pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) aponta que o Brasil perdeu, nos últimos dez anos, mais de 41 mil leitos hospitalares no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2008, o total de leitos na rede pública era de 344.573. Em 2018, o total chegava a 303.185.
Já os leitos classificados como não SUS aumentaram de 116.083 em 2008 para 134.380 este ano. De forma geral, portanto, o sistema de saúde brasileiro passou de 460.656 leitos em 2008 para 437.565 em 2018, totalizando 23.091 leitos a menos – o equivalente a seis leitos fechados por dia durante um período de dez anos.
“O estudo mostra comportamentos diferentes se compararmos quantitativos de leitos SUS e não SUS. Enquanto o primeiro teve mais fechamentos que habilitações, o segundo grupo mostrou um aumento de aproximadamente 18.300 unidades. Isso significa que os leitos públicos diminuíram mais drasticamente”, destacou a CNM que usou a base de dados do próprio Ministério da Saúde para lançar o estudo. 

Tito Pereira lança primeiro álbum solo nesta quinta

“Alegria” é o primeiro disco solo do pianista, cantor e compositor de feirense Tito Pereira e será lançado nesta quinta-feira (25), a partir das 20 horas, no Teatro do Cuca (Centro Universitário de Cultura e Arte), na rua Conselheiro Franco, no centro da cidade.
Esse novo trabalho conta com 10 músicas, tanto instrumentais quanto vocais, que apresentam um sofisticado repertório, que vai do clássico/erudito ao samba de roda típico da região do Recôncavo baiano e da zona rural de Feira de Santana, e também estabelece um rico diálogo de elementos jazzísticos com ritmos de essência brasileira como o baião, por exemplo.
Tito Pereira tem mais de 20 anos de carreira profissional, atuando como tecladista, pianista e diretor musical freelancer em diversos projetos musicais, e dessa experiência ele apresenta ao público todas as influências que acumulou durante essa trajetória.

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Expansão do acesso à internet está desacelerando, diz estudo

Em junho de 2018, a internet chegou à marca de 4 bilhões de usuários. Mas isso também significa que 3,6 bilhões de pessoas ainda estão fora da revolução digital. De acordo com um relatório compartilhado com o jornal inglês The Guardian, essas pessoas desconectadas ainda estão distantes de ficar online, pois está ocorrendo uma desaceleração dramática no crescimento global do acesso à internet. Apesar de a cada ano mais pessoas terem acesso a rede, o crescimento do acesso a ela está diminuindo. Em 2007, a taxa de crescimento era de 19%. Já no ano passado ela foi de 6%.
O relatório, que se baseia em dados da ONU, será publicado no próximo mês pela Web Foundation, uma organização criada pelo inventor da world wide web, Tim Berners-Lee — que recentemente criou a plataforma Solid, para tentar “consertar” deficiências da internet. Para Dhanaraj Thakur, diretor de pesquisa da Web Foundation, o mundo subestimou a desaceleração, e a baixa taxa de crescimento é preocupante. “O problema de ter algumas pessoas online e outras não é que você aumenta as desigualdades existentes”, afirmou.

Colbert saniona lei que autoriza município a investir até 130 milhões de reais, através de empréstimo

O prefeito Colbert Martins Filho sancionou nesta segunda-feira, 22,  a lei municipal, aprovada em segunda discussão pela Câmara de Vereadores, que autoriza a administração a contratar operação de crédito da ordem de até R$ 130 milhões. Os recursos serão aplicados em projetos e obras de mobilidade urbana, saneamento e requalificação urbanística de áreas localizadas no centro  comercial de Feira de Santana.
O Legislativo concedeu a autorização ao aprovar o Projeto de Lei Ordinária de nº 158/18. A operação de crédito deverá ser executada em duas instituições financeiras oficiais, a Caixa Econômica Federal (R$ 100.000,000,00), e o Banco Do Brasil S/A (R$ 30.000.000,00).

Ao trabalho, senhores


César Oliviera
Estamos diante de uma encruzilhada e um país dividido. A ausência de auto-crítica sobre o maior projeto de corrupção do mundo, negócios e apoio a ditadores, fracasso econômico, e servidão a Lula ( que está preso, babaca, segundo o Cid Gomes), mostram que o PT, como na célebre frase de Tayllerand sobre os Bourbon, " não aprenderam nada, nem esqueceram nada".
No outro lado, Bolsonaro usa retórica rasteira e seus filhos&cia utilizam um discurso que oscila entre o vazio intelectual e a asneira pura e faz apologia da força para a parcela de seu público extremista, incorporando a rejeição ao adversário. Caso eleito, como parece provável, terá de moderar a retórica de intolerância dos que lhe rodeiam, para governar.

domingo, 21 de outubro de 2018

Como a ciência explica o ódio eleitoral

As pesquisas de rejeição deixam claro: Jair Bolsonaro e Fernando Haddad são odiados. Quem vota em um rejeita total e absolutamente o outro. Para entender exatamente por que isso acontece, não tem outro jeito. Precisamos esquecer por alguns instantes os valores e planos de governo de cada um e focar num objeto inquestionavelmente mais complexo: nosso cérebro. E ele traz à tona uma resposta incômoda, a de que somos mais intolerantes do que admitimos.
É o que aponta o neurocientista americano Joshua Greene, de Harvard, em seu livro Tribos Morais – A Tragédia da Moralidade do Senso Comum. Greene defende um pilar da psicologia evolutiva: o de que nosso cérebro não foi projetado para encarar a tarefa de viver em grupos complexos. Nossos instintos não toleram a ideia de conviver com quem pensa de forma distinta – muito menos oposta.

Tiquira, a aguardente ancestral do Brasil que quer ganhar o mundo

A empresária Margot Stinglwagner acompanhava uma festa junina em uma pequena cidade no interior do Maranhão, em 2012, quando ouviu falar pela primeira vez da tiquira. Tradição em rodas de Bumba Meu Boi na região, a bebida quente fora oferecida aos presentes em uma rodada paga pelo dono do bar em que ela estava.
Margot perguntou o que era e descobriu que se tratava de um destilado à base de mandioca. Ficou intrigada. Carioca, filha de um executivo do setor de bebidas, nunca ouvira falar do produto. Passada a festa, foi pesquisar e ficou fascinada. As origens da aguardente remontavam aos índios brasileiros. A produção era toda artesanal e sobrevivia em poucas cidades do Estado do Maranhão.

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

A camisinha que se autolubrifica e pode reduzir contágio por doenças sexualmente transmissíveis

Com o objetivo de estimular o uso da camisinha, cientistas desenvolveram preservativos de látex que se autolubrificam quando em contato com fluidos corporais.
Além de promover maior conforto, dizem os pesquisadores, a inovação traria mais segurança aos usuários, já que a falta de lubrificação pode fazer com que a camisinha saia do lugar durante a relação.
Quando usada corretamente, a camisinha é um contraceptivo eficaz e protege contra doenças sexualmente transmissíveis - a questão é que nem todo mundo gosta de usá-la.
Em artigo publicado na revista acadêmica Royal Society Open Science, os autores dizem que esses problemas seriam resolvidos com o novo produto - cujo desenvolvimento foi patrocinado pela Melinda Gates Foundation, dedicada a pesquisas na área da saúde -, já que ele desliza melhor depois de entrar em contato com fluidos corporais.

Projeto piloto transformará CRAS do bairro Rua Nova em referência a nível nacional

Projeto piloto implantado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso) vai transformar o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) do bairro Rua Nova em modelo a nível nacional. A iniciativa foi lançada na manhã desta quarta-feira, 17, através de parceria com a Faculdade Uninassau, viabilizando um profundo estudo para definir a adoção de medidas que garantam atendimento de excelência à comunidade no serviço público.
Ao apresentar o projeto, o secretário de Desenvolvimento Social, Ildes Ferreira, informou que a partir dos resultados obtidos no projeto piloto da Rua Nova, todos os outros 14 CRAS de Feira de Santana também adotarão o novo padrão de atendimento ao público.

Parabéns a todos os colegas médicos!!


César Oliveira
É impossível atravessar a vida sem um médico, ou vários, para chamar de seu: seja ao nascer, viver, ou partir. O médico, no exercício pleno do ofício, é o aliado mais próximo de combate aos moinhos das ameaças, um Quixote que sabe que um dia perderá, mas que segue adiando a derrota inevitável, dia após dia, cuidado após cuidado. Todo médico é, em essência, um confessionário, onde a fragilidade desnuda-se e apela por proteção, e compreensão, sem julgamento; e onde as lesões devem encontrar a cura, algumas vezes; o alívio, frequentemente; o consolo, sempre.
A referência mais antiga a essa citação é do século XV, em francês (Guérir quelquefois, soulager souvent, consoler toujours), mas já deve ser uma provável tradução do latim medieval, já que nele existe a frase medicus quandoque sanat, saepe lenit et semper solatium est”: o médico às vezes cura, muitas vezes alivia e sempre é um consolo. Há traduções em outras línguas, como inglês: "To cure sometimes, to relieve often, to comfort always"; italiano: "Guarire qualche volta, alleviare spesso, confortare sempre"; espanhol: "Curar algunas veces, aliviar frecuentemente y consolar siempre". Embora com variações e muitos médicos enganosamente apontados como autores, inclusive, Hipocrates, ela contém as lições que nos balizam, ainda que seja um novo milênio.

Meu compadre Wilton

Dr. Wilton e Arlete com a família no batizado de Lia

             Me aproximei de Dr. Wilton Lima quando ele passou a frequentar o Bar do Vital, na Kalilândia. Na época, ele era o único além de mim que ia ao bar acompanhado da esposa. Surgiu logo uma afinidade e uma amizade, principalmente entre Maura e Arlete. As duas ficavam conversando enquanto a gente jogava dominó e conversa fora com os marmanjos.
            Certa época eu me encontrava fora do jornalismo e, para sustentar a família, resolvi fazer algo que eu conhecia bem. Fui vender leite de porta em porta. Wilton era um dos meus clientes. Um dia, saí de casa preocupado, pois minha filha Lia estava com febre e vômitos. De um orelhão liguei para casa para saber como ela estava e o quadro não havia mudado e preocupava.

Dr. Wilton Lima, uma vida simples e cheia de amor



Wilton José Tavares Lima nasceu no dia 18 de dezembro de 1948, em Nazaré das Farinhas. Filho de Hugo Lima (alfaiate) e Zaira Tavares Lima. Aos 14 anos veio morar em Feira de Santana, onde concluiu os estudos. Sempre teve o desejo de estudar Medicina. Prestou vestibular na Escola de Medicina da Universidade Católica do Salvador, e em 03 de dezembro de 1974 se formou médico. Em 1975 foi para o Rio de Janeiro fazer especialização em Gastrenterologia na Rio Clínica, onde surgiram várias oportunidades de trabalho, mas, sempre quis se firmar em Feira de Santana, para onde retornou em 1976, e montou consultório no Edifício Zé Domingos.

Neste mesmo ano ingressou nos quadros da Prefeitura Municipal e começou a trabalhar como médico em um Posto de Saúde, no bairro Caseb, hoje Unidade Básica de Saúde Nossa Senhora de Fátima. Também em 1976 começou a trabalhar para o Sindicato dos Empregados do Comércio de Feira de Santana e no Hospital Dom Pedro Alcântara. Já em 1983 iniciou no Hospital Regional Clériston Andrade.

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

O frigorífico que produz carne de frango sem matar uma ave

Há uma crise iminente diante do crescente apetite por carne no mundo. Será que um frango que cisca em uma fazenda em São Francisco pode ser a solução?
Em 1931, Winston Churchill previu que um dia a raça humana "escaparia do absurdo de criar uma galinha inteira para comer o peito ou a asa, produzindo essas partes separadamente".
Oitenta e sete anos depois, esse dia chegou, como descobrimos na Just, empresa de alimentos em São Francisco, nos EUA, onde provamos nuggets de frango fabricados a partir das células de uma pena de galinha.
O frango - que tinha gosto de frango - ainda estava vivo, supostamente ciscando em uma fazenda não muito longe do laboratório.
Essa carne não deve ser confundida com os hambúrgueres vegetarianos à base de verduras e legumes e outros produtos substitutos de carne que estão ganhando popularidade nos supermercados.