terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Alex Ferraz

ATAQUE
Tablets e smartphones viraram alvo predileto dos hackers. Um levantamento mostra que, no Brasil, entre janeiro e setembro do ano passado, nada menos que 50 milhões de vírus penetraram nesses aparelhos. Alguns deles podem podem danificar de vez o equipamento. Além disso, há o roubo de senhas bancárias.

Frase: A Holanda já havia anunciado em 2012 a necessidade de fechar oito prisões e demitir mais de mil funcionários

As prisões brasileiras e o Primeiro Mundo
Prezados leitores, irresistível a leitura dos textos que reproduzo a seguir, sobre o sistema prisional no Ocidente, de autoria de Cibelih Hespanhol, publicados no site Outras Palavras. Prestem atenção: "As recentes notícias sobre o fechamento de quatro prisões suecas reabriram discussões sobre a forma como lidamos com nossos detentos. Isto porque a falta de presos no país nórdico é atribuída principalmente à forma de organização de seu sistema penitenciário, que conta com investimentos na reabilitação dos prisioneiros; adoção de penas mais leves em delitos relacionados a drogas; e revisões judiciais que optam por penas alternativas em alguns casos, como liberdade vigiada. Em situação semelhante, a Holanda já havia anunciado em 2012 a necessidade de fechar oito prisões e demitir mais de mil funcionários – pelo mesmo motivo: suas celas estavam praticamente vazias. O que tem a nos dizer estes países?"
"Em sentindo inverso, nos Estados Unidos, país com maior população carcerária do mundo, o número de detentos chega a praticamente 2,3 milhões. E a taxa de reincidência é de 60% – ou seja, a cada dez pessoas que saem da prisão, seis voltarão para o crime. O Brasil, que ocupa o quarto lugar no ranking de população carcerária, possui cerca de 500 mil presos, num índice de 274 detentos por 100 mil habitantes. Além disso, o número de detentos é 66% maior do que a capacidade que o sistema brasileiro possui de abrigá-los nas prisões. Em junho do ano passado, a ONU declarou em relatório oficial a necessidade do país 'melhorar as condições de suas prisões e enfrentar o problema da superlotação'. Casos de violação dos direitos humanos, torturas físicas e psicológicas são recorrentes em presídios brasileiros: no Rio de Janeiro, um preso é morto a cada dois dias, principalmente de tuberculose e AIDS."

Ainda sobre
prisões (I)

Segue o texto: "A abismal diferença entre prisões suecas e brasileiras (ou norte americanas) está nas teorias que fundamentam seus sistemas penitenciários. O país da pena de morte é o mesmo que viu sua população carcerária praticamente dobrar desde o início dos anos 90. Já o país que optou por uma política de reinserção social, em que uma agência governamental é encarregada de supervisionar os detentos e oferecer programas de tratamento para aqueles com problemas com drogas, vê agora suas prisões serem fechadas por falta de prisioneiros."

Ainda sobre
prisões (II)

E conclui: "Em entrevista ao The Guardian, Kenneth Gustafsson, governador da prisão de Kumla, a mais segura da Suécia, declara: 'Existem pessoas que não querem ou não podem mudar. Mas na minha experiência a maioria dos prisioneiros quer mudar, e nós precisamos fazer o que pudermos para ajuda-los. E não é apenas a prisão que pode reabilitar. Isso é um processo combinado, que envolve a sociedade. Podemos dar educação e treinamento, mas quando essas pessoas deixam as prisões elas precisam de moradia e emprego”.

Enquanto isso,
no Amazonas

Not ícia de O Globo: "Além da superlotação e do alto número de rebeliões nos presídios — só em 2013, foram quatro, com a fuga de 176 presos —, o problema mais flagrante no Amazonas é a ausência de juízes e defensores públicos no interior. Essa carência contribui para o índice considerado mais alarmante pelo Mutirão Carcerário realizado pelo Conselho Nacional de Justiça no ano passado: os processos de presos provisórios (ainda não julgados) correspondem a 78%, um dos maiores índices do país. Dentro da massa carcerária do estado, de 8.870 detentos (para 3.811 vagas disponíveis), o número de presos provisórios chega a 5.418."

Enquanto isso,
no Maranhão (I)

A governadora do Maranhão, Roseana Sarney, gastou pelo menos R$ 274,1 milhões dos cofres do Estado com empresas de familiares, amigos e correligionários desde que assumiu o cargo pela última vez em 2009. Com 60 anos e em seu quarto mandato, a herdeira do senador José Sarney, mantém negócios com empresas de parentes e tem amigos e familiares ocupando postos-chaves em várias esferas de poder."

Enquanto isso,
no Maranhão (II)

Entre os donos das empresas que receberam dinheiro público estão o advogado que a representa em processo de cassação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o próprio pai da governadora que é acionista de um dos shoppings contratados. Além disso, a segunda empreiteira que mais recebeu dinheiro do governo do Maranhão, no ano passado, foi a Ducol Engenharia. Ela pertence a Herny Duailibe, primo do marido de Roseana, Jorge Murad.
CORRIDA - Servidores ativos e inativos, ocupantes de cargos comissionados, contratados pelo Regime Especial de Direito Administrativo (Reda), além de estagiários, podem se inscrever para a 5ª edição da Corrida do Servidor até o dia 24 deste mês, no Portal do Servidor.
MULHERES - A Superintendência de Políticas para as Mulheres de Salvador (SPM), por meio do Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV) e em parceria com a Guarda Municipal, está com inscrições abertas para o Curso de Técnicas e Procedimentos Necessários ao Cotidiano - Defesa Pessoal. Mais informações: [email protected]
ESTÁGIO - O Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT5-BA) prorrogou as inscrições da seleção de estágio que oferece 22 vagas para estudantes do ensino médio e 11 vagas para estudantes de Direito. As inscrições podem ser feitas através do site www.institutoaocp.org.br até o dia 3 de fevereiro.

Nenhum comentário: